quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Menina de Ouro

Ontem assisti novamente o filme “Menina de Ouro”. Que filme fantástico! Emocionante! Eu que não choro não pude me conter! Quero amar assim. Quero ser amada assim... Assim, desmedidamente! Ou como diria Djavan “um amor tão puro que ainda nem sabe a força que tem”.
Frankie, longe de sua filha e Maggie, com uma família desestruturada e com um sonho para realizar, se ‘adotam’! Cresce um amor! Um amor que transcenderá a existência física. Amor este maior que o egoísmo inerente a nós, míseros humanos! Sim porque, como Frankie, nós não aceitamos a morte. É dolorosa demais a separação, por isso queremos o ser amado conosco, em carne e osso! Na verdade o amor é egoísta... Que sentimento sublime é este então? Existe algo maior que o amor? Ajudem-me... Se já é difícil aceitar a morte, imagine sacrificar o ser amado! Sacrifício do corpo pela liberdade da alma... Ah o amor... Mo Cuishle, significa “meu tesouro”, “meu sangue”. Só de lembrar me emociono. Esse filme é para mim uma injeção de animo, uma dose de vida! E eu agradeço por ser perfeita na medida de nossa imperfeição...

2 comentários:

Fernanda disse...

Uau, caprichou no texto, hein!!!

Eu tbém gosto desse filme, mas como já disse no flog, me irrito com algumas questões, talvez por ser muito parecido com a vida real...

Beijão

Panzinha Croft disse...

Nossaaaaaaaaa!!
que lindoo!
eu tb quero!
uahauh!
eu nunca amei assim..será que um dia vou??
auhauh!!